Vvm dia, você vai escrever o livro que sempre quis. Um dia, você vai escrever o próximo post pro blog. Um dia, você vai terminar aquele artigo.

Um dia…

É muito fácil ter inúmeras ideias e sonhos do que escrever, deixar a cabeça acumular de energia criativa até a pele zumbir de empolgação, mas nunca passar nada pro papel. Nunca sentar e escrever de fato. Sempre esperar pelo momento perfeito, o alinhamento dos planetas, o jorro de criatividade ilimitada. Deixar a criação somente na teoria é uma espiral de preguiça que, se não prestarmos atenção, nos viciamos.

Se identificou? Saiba que não está sozinho. “Arrumar tempo para escrever” é uma das desculpas favoritas de escritores, bem ao lado de “só preciso pesquisar mais um pouco” e “agora é sério, é o último episódio, depois desse começo”.

O momento perfeito não chega nunca.

Escrever é uma atividade de resistência

Não é fácil. Sempre há um motivo para não escrever. Requer energia mental e, geralmente, energia emocional, também. Além de um processo artístico, é ainda um processo intelectual. Precisamos nos concentrar, forçar os deuses da inspiração a sussurrarem em nossos ouvidos. Há dias em que tudo é mais fácil, quando sentimos as palavras fluírem e a criatividade está em alta.

São dias raros.

Escrever requer concentração e privacidade

A hora perfeita para escrever não é o único problema – também precisamos encontrar o lugar perfeito. Eu, por exemplo, não consigo escrever se alguém puder olhar pra tela. Mesmo se não estiverem necessariamente prestando atenção. A privacidade é importante para a segurança e liberdade de podermos escrever qualquer coisa.

Não há (geralmente) senso de urgência

Você não precisa escrever seu livro. Você não precisa escrever o próximo post. Você não precisa escrever sobre suas viagens. Certo?

Não. Precisa, sim.

Mesmo se o público não existir, escrever é importante. Se sentimos a necessidade de escrever, então é porque faz parte de quem somos. Posso arriscar e dizer que escrever te faz feliz – e, quando o dia termina e você percebe que não escreveu nada, um sentimento de insatisfação te domina. De que perdeu mais uma batalha na guerra da escrita.

Essa falta de urgência te faz sempre relegar a escrita para depois, como uma atividade menor. Cada vez mais embaixo na lista, até sumir completamente.

Pare de esperar a hora perfeita – ela não existe

Comprometa-se a escrever todos os dias. Ou, pelo menos, com um dia certo. Com 168 horas na semana, dê um jeito de arrumar duas para escrever, não importa o que aconteça. Muito provavelmente não serão horas perfeitas, e muitas vezes pouca coisa será criada, mas acredite: será melhor que nada.

“Você não encontra tempo para escrever. Você cria tempo.” -Nora Roberts