Categories Livros
Date 3/07/2015
URL Adquirir

Limbo é uma carta de amor, uma grande homenagem às influências que me marcaram. Misturei elementos e referências de videogames, RPGs, HQs, animes, mangás, filmes, séries e livros. De Dragon Ball a Final Fantasy, de Dungeons & Dragons a Matrix, Limbo está repleto de menções e pequenos tributos à cultura nerd.

Por exemplo, a primeira frase do livro, “Levanta-te da tua tumba”, é uma singela referência à Altered Beast, game dos anos 1980.

O livro é focado na ação e também em um mistério central da trama, onde o protagonista aos poucos vai lembrando de sua identidade. Apesar de possuir início, meio e fim, o enredo não tem uma estrutura convencional — há histórias dentro de histórias, cada capítulo contém um arco e a trama se desenvolve como em uma série, abrindo pontas que só são concluídas no desfecho.

Sinopse:

O Limbo é para onde todas as almas vão após a morte. Além de humanos, deuses esquecidos e espíritos lendários também vagam pelo plano. Muitas almas sabem exatamente onde estão e por que; a maioria, entretanto, ainda tem a impressão de estar viva. A morte é um hábito difícil de se acostumar.

Um dos espíritos residentes no Limbo acorda sem nenhuma lembrança de sua identidade. Ele descobre que a Terra está prestes a ser destruída pelos próprios humanos e fica encarregado de enviar doze almas heroicas de volta. Elas reencarnarão no plano dos homens e tentarão reverter o quadro apocalíptico.

Contudo, poucas almas encaram o retorno com bons olhos. O espírito deve, então, forçá-las. Armado, de preferência. Assim, resolve visitar um velho amigo: Azazel, anjo ferreiro e primeiro escolhido da lista.

O espírito descobre mais sobre quem realmente é, ouve uma versão completamente diferente sobre a rebelião dos anjos e é presenteado com uma surpresa de péssimo gosto.

LIMBO mistura elementos e referências de videogames, RPGs, HQs, animes, mangás, filmes, séries e livros. De Lovecraft a Final Fantasy, é uma homenagem às influências que marcaram o autor.

Capa: Marina Ávila

Booktrailer:

Opiniões:

Outra coisa que me divertiu demais no livro foi o alívio cômico. O livro, em si, tem um tom bem reflexivo, um tanto filosófico, à medida que as virtudes procuradas em cada um dos 12 guerreiros são destrinchadas em textos de se fazer pensar. Porém, o humor está sempre presente, o que faz com que o teor principal da história esteja bem longe de ser enfadonho.

Clube de Autores de Fantasia (Leia na íntegra)

[…] As mais caras marcas de sua obra: o humor inteligente e irônico, o entretenimento fluido e a beleza poética de suas palavras tão bem escolhidas. Todas essas características marcantes de Limbo conseguiram me fazer sentir orgulho dos tesouros que nossa literatura guarda.

— Caroline Defanti, autora de A Irmandade de Copra, no site Vai Lendo (Leia na íntegra)

Fica um gosto de quero-mais, mas sei que a história está no tamanho certo. Estendê-la poderia mudá-la e alterá-la demais, e os personagens são tão cativantes que ficarão comigo por um bom tempo. Adorei todos eles, adorei o estilo, adorei o final. É algo que preciso reler para ver se peguei tudo.

— Atlas Moniz, na Amazon (Resenha com spoilers – leia na íntegra)

Nem sei dizer o que eu gostei mais, se foi do clima sombrio, do humor inteligente, da ambientação do Limbo em si, dos personagens maravilhosos, o final espetacular, as referências, ou até mesmo o personagem Cacá. É uma obra nacional linda, rica e completa.

Nuvem Literária (Leia na íntegra)

Limbo traz uma história densa e tocante, com personagens tridimensionais, situações por vezes desesperadoras que em um passe de mágica se transformam em comédia pastelão. Os personagens são extremamente carismáticos, e mesmo aqueles que têm pouco tempo de “tela” acabam por ser cativantes.

— Thiago Mendonça, do site AcessoMe (Leia na íntegra)

O livro é bem curto e fácil de ler, e a escrita me agradou bastante. […] Para ser sincera, esse deve ser um dos livros brasileiros mais bem escritos que já vi. Narração em primeira pessoa não é exatamente minha preferida (bem longe disso, na verdade), mas a personalidade do espírito ficou tão bem retratada que eu nem me incomodei com isso. Foi um alívio ler diálogos bem feitos também.

— Neo Laveroni, do site Chimeriane (Leia na íntegra)

Limbo é altamente recomendado. Em cada página da obra, encontramos grandes lições para nossa breve existência nesse mundo. Não tenho dúvidas de que o livro mereça ser classificado com cinco estrelas.

Filósofo dos Livros (Leia na íntegra)

Não posso deixar de citar o alívio cômico empregado pelo autor e que fez toda a diferença para a história. Não posso também deixar de citar o final, pois me surpreendeu. Além de bem desenvolvido, chega a emocionar (pelo menos os  românticos de plantão como eu)! Aliás, foi surpreendente, já que eu esperava outro final.

Bunker Nerd (Leia na íntegra)

Um universo extenso com possibilidades de ser explorado e, se aqui fosse os Estados Unidos, conseguiria facilmente garantir adaptações em outras mídias. […] Limbo consegue conquistar sua própria personalidade.

— O Super Nerd (Leia na íntegra)

Tem que virar jogo, tem que virar filme, recomendadíssimo!

Geek em Dobro (Assista ao vídeo)

Texto bem escrito, narrativa inteligente e entretenimento garantido. Recomendo.

Camila M. Guerra, autora de A Última Chave (Leia na íntegra)

Ao longo do desenvolvimento, fiquei admirado com a charmosa introdução de figuras mitológicas que eu conhecia ou não conhecia e me interessei em conhecer. E, acima de tudo, a presença Dele! Ele, que é tudo de ruim, que é mau até o âmago da essência, que vomita obscenidades o tempo inteiro e torna a leitura bastante divertida e aprazível! #TeamCacá

— Michael A. Iora, autor de As Crônicas de Herannon (Leia na íntegra)

Thiago é um autor que não só pesquisa, mas transforma seu estudo em dados vivos e sentimentais, Limbo é uma obra pra ser sentida na pele, embora em muitos momentos vá atravessar os ossos e varar-lhe a alma. Não há nada ruim que possa ser dito, a obra é completa e estruturalmente bem desenvolvida, todos os personagens receberam o cuidado devido de seu criador, as referências estão ali como uma brisa de verão a tocar-lhe o rosto constantemente.

— Igor Feijó, autor de Artífices da Vontade (Leia na íntegra)

O livro é excelente! Cheio de momentos de bom humor em meio a ótimas cenas de luta. Os personagens são uma mistura de ficção e imaginação, tudo unido com muita inteligência.

— Isa, na Amazon (Leia na íntegra)

Thiago encontra espaço para visões filosóficas baseadas em qualidades intrínsecas das doze almas e, se eu pudesse citar o maior motivo pelo qual essa história merece ser lida, seria esse. Não são personagens escolhidos por favoritismo ou adoração aleatória. Há uma razão pela qual compõem a caminhada do protagonista e, então, passamos a entender um herói bem racional.

— Raigor L. Ferreira, na Amazon (Leia na íntegra)